QUEM SOMOS

separador.png

MOVIMENTO DE RETORNO À ANTIGA TRADIÇÃO DOS HEBREUS DO DESERTO.

O Divino deseja ser visto sem véus, as vestes que encobrem a Sua verdadeira essência.  As religiões com suas interpretações literais (P'shat) das Escrituas Sagradas Hebraicas, constituem véus espessos que escondem o Divino. O estudo dos mistérios sagrados (Sód) retiram esses véus  e a cada novo mistério revelado, o Divino se torna cada vez mais vísivel e acessível.

 

Hayk'la Arazuta (היקלא אראזותא) vem do aramaico antigo e significa "Comunidade Mística." Já "Qédmá (קדמה)" vem do hebraico e signfica "Primordial". Tem raiz no termo também hebraico "Qedêm (קדם)" que significa "A partir do oculto não revelado" e se refere à fonte de luz primordial que se oculta na Sefirá Kéter na Árvore das Vidas.

 

"Mas aos filhos das concubinas que Abraão tinha, deu Abraão presentes e, vivendo ele ainda, despediu-os do seu filho Isaque, enviando-os apara Qédma, para a terra de Qedêm."

 

Gênesis 25:6

 

O Sêfer Ha'Zôhar Ha'Qadosh (Livro Selado de Daniel) nos diz que, esses "prensentes" foram partes da Sabedoria Escondida da Torá que Abraão deu aos seus filhos com Qeturá. Ele então, os enviou para estudar os mistérios primordiais ocultos na Fonte Primordial que é a Sabedoria do Zôhar Sagrado. Fisicamente, ele os enviou para a Índia. O nome Qeturá significa "Incenso." Entre esses filhos que Abraão enviou para Qédma havia um que se chamava SHIVA.

 

"A polidez vem das cidades, Sabedoria, do Deserto."

Paul_Site.jpg

"E ele conhecerá os Teus caminhos como se neles houvesse nascido."

"Ponham-se às margens dos caminhos e olhem; perguntem pelas veredas antigas, perguntem pelo bom caminho. Sigam-no e acharão descanso para as vossas almas." 

 

Jeremias 6:16

 

O termo para caminhos usado neste v ersículo é "derachim (דְּרָכִים)" que é plural de "derech (דֶּרֶךְ)". O Midrash Eichá (Jeremias) diz que "Derech" é como é chamado o Messias. Derech significa "Caminho." Quando o versículo nos instrui a nos colocarmos às margens dos caminhos, está nos dizendo que devemos estar as margens dos ensinamentos messiânicos, das instruções faladas pelos messias em suas gerações. Osa anitgos Cabalistas chamam aquele que acançou a Consciência MessiÂnica de "Qiftzat Ha'Derach - O Encurtador do Caminho (קיפצת הדרך)" pois se refere ao Caminho do Meio na Etz Ha'Chaim (Árvore das Vidas) que é também chamado de "Derech Ha'Mashiach - O Caminho do Messias (דרך המשיח)."

 

Já, quando o profeta menciona no versículo o que na tradução se lê "veredas antigas" no hebraico se encontra "netivot olam (נְתִבוֹת עוֹלָם)" cujo significado é "caminhos ocultos" e se refere às avenidas da Árvore das Vidas que ligam as Sefirot entre si e escondem os segredos da Torá Ne'elam (תורה נעלם) - Torá Escondida - que são os mistérios da Qabalá Sagrada e que somente podem ser revelados por aquele que alcançou o Despertar juntando e unindo dentro de si os três níveis de alma que formam "NR'N." Estas aberturas da Sabedoria Escondida são chamadas de "Chidushim (חידושים) - Novidades."

 

Ao profetizar "perguntem pelo bom caminho" no texto hebraico original nós lemos "ei zê derech ha'tóv (אֵי-זֶה דֶרֶךְ הַטּוֹב)." O termo hebraico "tóv (טוב)" é como é também chamado o Messias. Quando Moisés, nosso mestre, de abençoada lembrança, nasceu, sua mãe, Yochevéd, exclamou sobre ele "ki tóv hú (כִּי-טוֹב הוּא) - eis que ele é bom" o que podemos dizer "eis que ele é tóv e, então, quando Jeremias instrui-nos perguntar pelo "o caminho do bom" está secretamente dizendo que devemos perguntar pelo Caminho do Messias que é o caminho do meio. Além disso, o termo "tóv (טוב)" possui gimatria igual a 17 que é o mesmo valor numérico qabalista do termo "Buda (בודה)" cujo significado é "O Desperto."

 

"Ponham-se às margens dos caminhos e olhem; perguntem pelas veredas antigas, perguntem pelo bom caminho. Sigam-no e acharão descanso para as vossas almas."